Dos palcos para as telas! (E para a Netflix)

Meio de semana e já estamos buscando diversão para as horas livres? Ótimo. Trouxe alguns filmes que estão disponíveis na Netflix (isso é vida, né gente) e que têm músicos se arriscando como atores ou produtores/diretores.

Entendam o post como uma espécie de utilidade pública. São apenas dicas simples que surgiram de pesquisas que fiz para o meu tempo livre e resolvi compartilhar. Bora conferir?

– Elvis Presley – Feitiço Havaino (Blue Hawaii, 1961)

A história do rei do rock com o cinema é antiga, visto que, quando jovem, ele trabalhou como lanterninha. Mas, não é por isso que estamos aqui… Elvis foi convidado para vários papeis no cinema – são mais de 30 longa! E mesmo que não tenha estudado interpretação, suas atuações eram consideradas satisfatórias mesmo quando os filmes não eram bons, hehe. O filme em questão entra para a lista dos que foram sucesso, assim como o álbum – também Blue Hawaii, trilha sonora do filme.

Sinopse: “Após prestar o serviço militar, um jovem (Elvis Presley) volta para a casa dos pais em Honolulu, no Havaí, e começa, contra a vontade deles, a trabalhar em uma agência de turismo. Ao mesmo tempo seduz as funcionárias do hotel ao som de românticas canções”. 

Direção: Norman Taurog (vencedor de Oscar em 1931)
Gêneros: Comédia, Musical
Duração: 1h42

– David Bowie – Labirinto – A Magia do Tempo (Labyrinth, 1986)

Que Bowie era multitalentoso vocês já sabem, né?! Assim como Elvis, o Camaleão do Rock atuou por diversas vezes – foram mais de 20 filmes. A diferença maior é que David se apaixonou por atuação cedo, estudou artes dramáticas, fez teatro…

Desses vários filmes, Labirinto deve ser o mais mágico. É um musical de aventura e fantasia que tem Alice no País das MaravilhasO Mágico de Oz como algumas das inspirações. Eu sempre penso em Onde Vivem os Monstros também. Bowie interpretou Jareth e o papel lhe rendeu bastante popularidade. A personagem canta músicas compostas pelo próprio David.

Sinpose: “Frustrada por ter de cuidar do irmão caçula enquanto seus pais estão fora, a adolescente Sarah (Jennifer Connelly) sonha em se livrar da criança, que não para de chorar. Atendendo seu pedido, o Rei dos Duendes (David Bowie), personagem de um dos livros de Sarah, ganha vida e sequestra o bebê. Arrependida, a menina terá de enfrentar um labirinto e resgatar o irmão antes da meia-noite para evitar que ele seja transformado em um duende”.

Direção: Jim Henson (criador dos Muppets)
Gêneros: Fantasia, Aventura
Duração: 1h41

– Justin Timberlake –  Alpha Dog (2006)

Ok. Vários filmes que contam com a participação do meu Justin favorito estão disponíveis na Netflix. Como A Rede Social (2010), Amizade ColoridaProfessora Sem Classe e O Preço do Amanhã (2011). Nesses três últimos, Justin é protagonista. Por que escolhi logo um em que ele não é? Para tentar fugir do lugar comum.

Alpha Dog é um drama baseado em fatos reais, diferente dos romances-de-tarde-de-domingo que, geralmente, são os que me fazem pensar na combinação Timberlake + filmes.

Sinopse: “Johnny Truelove (Emile Hirsch) é um traficante de drogas de 2ª categoria em uma região confortável em San Gabriel Valley, em Los Angeles. Johnny e seus amigos vivem isolados em uma vida suburbana e, com muito tempo livre, levam a vida em busca de festas e emoções fortes. Quando Jake Mazursky (Ben Foster) não consegue o dinheiro que deve a Johnny, ele decide sequestrar Zack (Anton Yelchin), o irmão mais novo de Jake. Rumo a Palm Springs, Johnny e sua gangue decidem manter Zack como garantia e passam a levá-lo para festas, deixando-o sob responsabilidade de Frankie Ballenbacher (Justin Timberlake). Logo Zack passa a viver uma fantasia de verão, já que está afastado dos pais e rodeado de bebidas, garotas e novas experiências. Ao mesmo tempo ele se torna um companheiro de Johnny e sua gangue, que deixam de vê-lo como um refém”.

Direção: Nick Cassavetes
Gênero: Drama
Duração: 1h56

– Madonna – W.E – O Romance do Século (W.E, 2012)

A relação da rainha mór com os filmes também não é nova. Ela já atuou diversas vezes e, em 2008, apresentou Sujos e Sábios (Filth and Wisdom), escrito e dirigido por ela. E é seguindo essa linha que chegamos a W.E. Aliás, esse filme é a razão pela qual o post não aborda apenas músicos interpretando personagens (ou a si próprios) nas telonas. Aqui, Madonna  foi co-autora, co-produtora e diretora!

Sinopse“Anos 30. O Duque de Windsor, Eduardo VIII (James d’Arcy), é o primeiro na lista de sucessão da coroa britânica. Ele conhece e se apaixona por Wallis Simpson (Andrea Riseborough), uma americana casada. Quando Eduardo assume o trono passa a sofrer pressão para que não se case com Wallis, devido ao fato dela não ser inglesa e ter dois divórcios no currículo. Para ficar com seu grande amor, ele renuncia ao trono, que passa a ser ocupado por seu irmão Bertie (Laurence Fox). Em 1998, Wally Winthrop (Abbie Cornish) é obcecada pela história de amor entre Eduardo e Wallis. Ela trabalha na preparação de um grande leilão de objetos do casal e costuma fantasiar como seria a vida deles. Entretanto, na vida real Wally enfrenta vários problemas no casamento com William (Richard Coyle)”.

Direção: Madonna
Gêneros: Drama, Romance
Duração: 1h59

– Adam Levine – Mesmo Se Nada Der Certo (Begin Again, 2014)

Adam já tinha aparecido em American Horror Story quando apareceu para nós, interpretando ele próprio, no filme Mesmo Se Nada Der Certo#VouConfessarQue nunca pensei em assistir esse filme por causa dele. Aliás, fugi também por pensar se tratar de “apenas” mais um romance. O filme, porém, é classificado como drama e musical. Além disso, tem um elenco bacana que inclui o James Corden do Carpool Karaoke.

Sinopse“Uma cantora (Keira Knightley) se muda para Nova Iorque, mas logo após chegar no local, seu namorado americano decide terminar o relacionamento. Em plena crise, ela começa a cantar em bares, até ser descoberta por um produtor de discos (Mark Ruffalo), certo de que ela pode se tornar uma estrela”.

Direção: John Carney
Gêneros: Drama, Romance, Musical
Duração: 1h44

EXTRA – Não quero prolongar muito esse post, mas preciso compartilhar algo que eu não sabia. Mark Wahlberg tinha uma banda antes de se tornar ator! Ele era rapper, gente. Adorei vê-lo em Rockstar (que não está na Netflix, infelizmente), mas nem imaginava que ele realmente tivesse uma ligação com a música. Mais alguém?

Não o coloquei na lista porque ele é como outros que já são mais atores do que músicos, por terem feito a “troca” há tanto tempo que a gente mal se lembra. Tipo Will Smith ou Queen Latifah.

*Todas as sinopses são do AdoroCinema

Anúncios

16 comentários sobre “Dos palcos para as telas! (E para a Netflix)

  1. Old Elvis movies are so campy but they are fun. I loved the Labyrinth it was a real surprise when I saw it years ago. I am not familiar with the other films. And since I haven’t watched a movie in well over a year and a half, I probably won’t be seeing any movies soon. Wonderful post, Lari!

    Curtido por 2 pessoas

    1. Maybe Elvis’ movies are fun because they are campy! haha
      And I considere it enought that you’ve watched Labyrinth. Such a magical movie for me. Think I’ll always like to know that people around me enjoyed it as well. :)

      Curtir

      1. Speaking of Camp, you should consider a post on music from 1960’s beach party movies with Frankie Avalon and Annette Funicello. The video clips with the dancing and music are too much fun. Although I don’t think I could sit through a full beach party movie.

        As I said, I was pleasantly surprised by “Labyrinth”. All the characters and music are great, and it holds together as a movie.

        I also liked Bowie in “The Man Who Fell to Earth”. He made the perfect androgynous alien.

        Curtido por 1 pessoa

  2. Apenas que amor ver Labirinto aqui! É um dos meus filmes favoritos!
    Amei o post (amo referências filmes x músicas, como você já sabe!), e amei saber mais de filmes com nossos astros favoritos! (tipo ‘AplhaDog’) <3
    beijos, musa!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Amo pessoas que amam Labirinto, haha <3
      Quando assisti Alpha Dog, nem sabia que Justin atuava nele. Também não sabia que o filme é baseado em história real e tinha achado até meio bobo, doido. Depois que soube dos fatos, achei tudo mais legal, hehe
      Beijos

      Curtido por 1 pessoa

  3. Amei que é um post sobre filmes, mas ligado ao tema do seu blog! :) Não assisti a nenhum dos filmes que você deixou aqui. Quer dizer, já vi Amizade Colorida do Justin (um dos meus filmes favoritos da vida ♥), mas você não o destacou :P
    Apenas preciso assistir a esse com o Adam Levine, eu sempre acabo deixando pra depois, não sei exatamente o motivo… Sei lá, sempre tive a sensação de que era uma história meio triste, justamente por estar classificado como drama!

    Um beijo! ♥
    http://www.daniquedisse.com.br

    Curtir

  4. Amei a lista e amei o fato de todos estarem disponíveis na Netflix. Assisti apenas “Mesmo Se Nada Der Certo”, mas os outros já estão indo para “Minha Lista”, principalmente o “Labiranto”. Só de você falar que se parece com “Onde Vivem Os Monstros” eu já tenho certeza que vou gostar!
    Beijos,
    Amanda, Sempre às Quatro!

    Curtido por 1 pessoa

  5. De filmes com cantores atuando, meu favorito é mega trash: Crossroada, amigas para sempre, com a Britney Spears HAHAHAHAHA Também amo Burlesque, com Cher e Christina Aguilera. hahha Dos que você comenta no post, acredito que iria gostar de W.E. Excelente post!!

    Beijos!

    Curtido por 1 pessoa

  6. Li a postagem, mas o tempo passou e esqueci de comentar.
    Meio envergonhado de não ter visto Labirinto ainda. É um daqueles clássicos da década de 80, datados até demais, mas que conseguem agradar mesmo assim.
    Não sei se tão no netflix, mas uns filmes bons com músicos no elenco são: Inside Llewyn Davis (com o Justin Timberlake – que nunca me chamou atenção como músico ou ator, pra dizer a verdade – num papel menor. É sobre a cena folk da década de 60, levemente baseado na vida do Dave van Ronk), e quase todos os filmes dirigidos pelo Jim Jarmusch, ele sempre contrata uns músicos pra atuar ou ajudar na trilha sonora: Tom Waits e John Lurie (Down by Law), Screamin’ Jay Hawkins (Mistery Train), Iggy Pop (Dead Man), RZA (Ghost Dog, e ele também compôs toda a trilha sonora, que provavelmente foi a primeira trilha sonora original composta 100% por rap).
    E essa lista ficou confusa, mas juro que tudo nela vale a pena de se procurar, filmes e músicos.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s