#LollaNoSofá: Resumão #1

Lollapalooza para mim foi #LollaNoSofá, obviamente porque assisti tudo de casa. Quando o line-up saiu, falei aqui que não tinha ficado muito animada, apesar de um show ou outro que me interessava ver. Portanto, não fiquei lá muito triste com a realidade de assistir aos shows na telinha. No post de hoje, portanto, alguns comentários do que vi, ouvi e gostei (ou não), parte #1 – sábado.

ATENÇÃO: Esse é um post cheio de links (e gifs), para melhor informar e divertir você, leitor do Yellow. Não deixem de me contar o que acharam esse formato.

Acompanhei as transmissões apenas pela TV. No Multishow, os shows do Palco 1. No Canal Bis, os do Palco Axe. E, exclusivo na web, ficaram os shows do Palco Perry, que eu não vi nenhum.

Fonte: Site Multishow
Fonte: Site Multishow

#Fail para os brazilian diamonds

A tarde de sábado começou, na verdade, com a notícia do cancelamento do show da Marina dos Diamantes Marina And The Diamonds. Tem gente que acha que a moça perdeu o voo porque estava em uma festa e, claro, isso logo rendeu polêmicas… Bateu uma dorzinha no coração também ao ler sobre a fã que gastou R$2.400,00 para ver o show que acabou não acontecendo. E, para piorar a situação de alguns, o Lolla não vai reembolsar ninguém por causa da ausência de Marina no festival.

Assisti de rabo de olho – Banda do Mar, Nem Liminha Ouviu e Alt J

Não acompanhei a apresentação dos Boogrins e fui logo para a primeira grande banda a se apresentar, A banda do Mar. Nunca fui fã do Marcelo e nem de Marcelo e Mallu juntos. Sobre ela, particularmente, falei neste post (que acho mesmo que você deve ler). O show foi bem cedo e, portanto, não teve um público muito grande. Mas, as pessoas pareceram se divertir. Eu, acredito, estaria mais para bored no meio da multidão. Assisti também um trechinho do show de Nem Liminha Ouviu (que eu também nunca tinha ouvido), enquanto Luiza Possi se apresentava com eles e achei razoável. Vi que a banda levou outros convidados e você pode conferir tudo clicando aqui. Logo em seguida, fui conhecer Alt J, que se apresentava no outro canal… Fiquei nesse troca troca o dia todo. A Alt J é, literalmente, uma banda de rock alternativo que eu considero alternativo até demais. Segundo a Billboard Brasil, o show dos caras foi animado e agradou até quem não conhecia.

Gostei de conhecer – Fitz And The Tonturms

Na sequência, acompanhei o show de #FitzAndTheTonturms. A banda de Michael Fitzpatrick tem seis anos de estrada e se apresentou pela primeira vez no Brasil. O show foi legal e apesar de ter acontecido ainda na luz do dia, teve bom e animado público. O destaque, na minha opinião, fica para Noelle Scaggs, que divide os vocais com Michael e faz um ótimo papel animando a galera.

UK x USA – Kasabian e St. Vincent

Às 17h em ponto *-* a diversão começou oficialmente com o show do Kasabian. Pouco depois eu voltei pro troca troca para dar uma olhada na apresentação de St. Vincent (que, na verdade, despertou meu interesse por causa da Cara Delevingne – sim. É estranho pensar nisso, visto que ela participou do tributo ao Kurt e ao Nirvana recentemente e devia ter chamado a minha atenção, antes tarde do que nunca, nessa ocasião). kasabian

Bom, o Kasabian é uma banda britânica de indie rock e St. Vincent, que na verdade é Annie Clark, é americana. Nesse duelo, ponto para os músicos da terra da Rainha. Mas, essa decisão passa primordialmente pelo meu gosto pessoal. St. Vincent é uma artista completa e detalhista que sabe bem como quer montar seus shows. Até pensando nisso, acho que seria interessante vê-la se apresentando à noite para apreciar melhor os efeitos de luz. Apesar disso, o espetáculo foi completo. A apresentação foi ganhando vida à medida que escurecia, chegava mais gente, Annie se entregava (ajoelhava, ia pro chão e afins) e o público se animava. Combo ideal! E a moça, enlouquecida como sempre, saiu do palco aos gritos de alegria #Viva \o/ A Revista Rolling Stone fez um ótimo review (obvio) e rasgou elogios à americana.

Muito mais do que um simples show – Robert Plant (melhor show)

Do início ao fim, o show de Robert Plant foi ignorante, na falta de adjetivo melhor. O público já lotava o espaço, já era noite, na tinha aquela vibe que se espera de um grande show… E que show! Um gigante preenchendo o palco com sua banda, seus instrumentos inusitados, sua sincronia e talento. É claro que músicas do Led fizeram parte do repertório, mas você não precisa ser nenhum fã da banda para curtir esse espetáculo. Foi simplesmente fantástico e feliz de quem esteve lá para ver ao vivo. É claro que não existem unanimidades e teve quem achou que Robert acertou o tom com o blues, mas escorregou no toque “étnico”. Talvez seja a opinião de dos fãs clássicos do Led Zeppelin.

ps: Aqui tem um vídeo – que na verdade só tem áudio – para quem quiser curtir mais.

A minha ideia era fazer o troca troca para conferir alguns trechos do show do Marcelo D2, mas simplesmente não deu. Já assisti D2 ao vivo e é um show bacana, bem animado… Mas, não teve música no setlist de Robert Plant que me fez pensar “esse é momento para mudar de canal”. Uma questão que não deu pra perceber do sofá é que o som do show do D2 vazou e atrapalhou o Robert.

skrillexOs que eu não conhecia – Skrillex :( e Kongos :)

Quem seguiu Robert foi o Skrillex que, realizando o sonho de muita gente, estava acompanhando o show do cara lá de pertinho, no palco. Confesso que não conhecia o trabalho do cara. Muito provavelmente por se tratar de um som eletrônico, que não é lá minha praia. Por isso, preferi não comentar e apenas sugerir a leitura da opinião de quem acha que o Lolla virou baladaPra mim, é um tanto complicado entender “show” de DJ…

No outro palco, a banda Kongos – que apareceu para suprir a ausência de Marina – fez sua a apresentação e demorei a me dar conta de que eles são os donos do hit  “Come with me now”; ouça. A banda é menos nova do que parece… Eles demoraram a fazer sucesso e, quando foram contratados por uma grande gravadora e lançados para o mundo, tiveram, inclusive, que relançar a música hit que você acabou de ouvir. O show teve uma vibe meio reggae, meio pop, dançante e parece ter agradado bastante a galera! Se você ficou curisosx para conhecer mais, pode acessar o canal dos caras no youtube.

Escolha de Sofia – Jack White x Bastille

Problema de verdade eu tive na hora de ficar no troca troca entre Jack White Bastille (que veio na minha cidade, mas eu perdi #todoschora). Eu não era fã de The White Stripes, mas sempre soube das qualidades de Jack que me ganhou, de fato, com Lazaretto. Os  shows começaram com meia hora de diferença e, quando o Bis avisou o começo do show dos londrinos, não deu outra: mudei para quase não voltar. Foi ai que eu descobri quem detém meu coração atualmente <3

theremimÉ certeza que eu perdi muita coisa legal no show de Jack. Tive a sorte, pelo menos, de mudar de canal no momento certo para ver um teremim no palco. Mas, a internet está aqui para isso e você pode assistir aos melhores momentos a qualquer hora, assim como eu fiz. Bom, apesar dessa escolha de Sofia, não posso dizer mesmo que me arrependi de ter priorizado Bastille. Eu literalmente levantei da cadeira para cantar These are the things! The things we lost! The things we lost in the fire fire fire!! E estava tudo bem, até que Dan Smith decidiu tocar Oblivion e me deixar pensando na vida pelo resto da noite. Foi maravilhoso, porém. Nessas horas em que os flashes e lanternas dos celulares substituem os isqueiros, eu até vejo utilidade na tecnologia dos smartphones em pleno show.

But if you close your eyes. Does it almost feel like. Nothing changed at all? And if you close your eyes. Does it almost feel like. You’ve been here before? – Para fechar com chave de ouro.

Sobre a transmissão

Para fechar o post, vale dizer que a transmissão combinada com #LollaNoBis e #LollaNoMultishow + o tempo real com informações exclusivas postadas no site do Multishow = fantástico! Quem ficou no #LollaNoSofá, assim como eu, também pode aproveitar!

Fiquem espertos que amanhã tem o Resumão #2 com os shows de domingo \o/

Anúncios

19 comentários sobre “#LollaNoSofá: Resumão #1

  1. Que Dó da fã da Marina e que tenso vazar som no show do Robert… Também gosto de D2 mas não tem comparação né. Haha depois do post me senti como se tivesse acompanhado tudo de perto :) Show

    Curtido por 1 pessoa

  2. Adorei Lari.
    Quero só fazer a ressalva: ouça Skrillex!
    Sou viciada nele.. Fui ao Lolla de 2012 só pra vê-lo tocar e tão sensacional quanto o show que vi em casa no sabado.
    Além disso ele é cheio de projetos e parcerias incríveis (tipo o ‘Jack U’ que é o projeto dele com o Diplo!).
    Beijos

    Curtido por 1 pessoa

  3. Lari, que post delícia.
    Eu confesso que não acompanhei o Lolla, nem ao vivo e nem pela TV rs. E me senti por dentro lendo seu resumo. Do que eu posso opinar:

    1) Assisti o show da St. Vicent aqui em BH, na abertura do Plant. Curti e não curti. Achei a estética bacana, o jogo de luzes é realmente incrível, mas a primeira música toda coreografa me fez criar uma expectativa que foi meio quebrada durante o show. Um destaque: a guitarra.

    2) Robert Plant ♥ sou mais do que suspeita, já fui aos dois shows que ele fez em BH e achei essa segunda turnê simplesmente sensacional, ainda melhor que a primeira, mesmo com poucas diferenças. Acho que a banda está mais madura e Plant se encontrou em um mix de rock, folk e blues que é simplesmente encantador. Não é Led, mas vale cada minuto e centavo gasto.

    3) Também acho confuso os “shows de DJ”. Para mim eles cabem em festivais de música eletrônica ou palcos destinados somente a isso. Mas sabe-se lá, né. A galera gosta!

    4) E eu ~vergonhosamente~ conheço pouco de Bastille (já está na lista do meu Spotify rs) então ficaria sem dúvida nenhuma com Jack White, que passei a admirar ainda mais depois de ver um documentário com ele. (Vou fazer merchan pro meu blog, mas vale a pena assistir: http://goo.gl/XrQuQQ)

    Ufa! rs
    Beijos

    Curtido por 1 pessoa

    1. Gabi *-* Um comentário desses é muito, muito amor! Obrigada :)

      Queria ter mais experiência com St. Vincent para poder opinar melhor…
      Sobre Robert não ser Led eu sinceramente não ligo (e não é nenhum desdém). É que acho o show dele muito foda mesmo!
      Super acho que vale a pena você conhecer Bastille… Quem sabe faço uma play especial qualquer dia desses!!
      E sobre o documentário do Jack, vou assistir com certeza! Valeu a dica :)

      Beijo!!

      Curtido por 1 pessoa

      1. Muito amor é esse resumo <3 rs
        Também não desdenho Plant na nova fase, pelo contrário, tenho admirado cada dia mais. Mas os fãs de Led sempre vão sentir saudade <3 não tem jeito.
        Vou adorar a playlist :D
        E o documentário não é só dele, mas é muito bacana! Assiste e depois me conta.
        Um beijo

        Curtir

  4. Lari, adorei o post!! Eu sempre me identifico com seus comentários.

    Eu estive lá no Lolla e nossa, que experiência viu! Assisti a maioria dos shows que você citou, posso compartilhar um pouco da minha opinião? haha

    Sou uma grande fã de Banda do Mar, Alt-J e Bastille! Foi um sonho realizado ver essa galera ao vivo. Dos três Bastille foi, sem dúvidas, o mais animado, fiquei perdidona no meio da multidão, não enxerguei nada (difícil ser baixinha) mas curti MUITO! Aquele final de Pompeii com fogos foi sensa.

    Das bandas que não conhecia vi Kasabian (gostei bastante do som deles), um pedacinho de St. Vicent (não me despertou tanto interesse) e Skrillex que achei sensacional! Não via tanto sentido em levarem DJ’s pra festival assim mas foi legal. O espaço do show dele lotou demais e foi bem animado. Achei bom pra variar um pouco os estilos de música.

    Além deles acabei vendo o D2 ao invés do Plant porque minha amiga queria muito, mas acabei curtindo também. Ele sabe animar o povo.

    Do sábado foi isso mesmo, verei o post do domingo agora haha

    Beijinho!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Karol! Eu amo quando você aparecer por aqui <3

      Queria muito ter ido ao Lolla também. Imagino que tenha sido muito legal ver tudo de perto… E essa é uma das desvantagens grandes de morar em BH! haha

      E olha, D2 é um cara bacana que faz um show bacana, mas acho que eu faria de tudo para não perder Robert Plant haha

      Beijo e até o post de domingo! haha

      Curtir

  5. Eu também acompanhei o Lolla todo do sofá e realmente a transmissão foi perfect!

    1) Sobre os shows tenho que concordar em relação ao show do Fitz And The Tonturms, mal os conhecia e amei o som deles.
    2) Eu conhecia duas músicas do Alt J e já era meio caminho andado de fã, mas tirei meu chapéu pra eles. Foram muuuuito bons e na minha opinião um dos melhores shows do fds.
    3) Esperava mais do show da St. Vincent e depois de duas músicas não aguentei mais assistir o show, meio performático demais pro meu gosto. Mudei pro show do Kasabian e também não me agradou o show :/
    4) Robert Plant ♥♥♥ .. precisa dizer mais nada né?! Perfeito o show
    5) Optei por ver o show do Jack White, primeiro pq já era fãzoca e segundo porque já tinha ido ao show do Bastille aqui em BH. E sinceramente, que show! Foi surpreendente.

    Bjs

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s