Um fenômeno chamado Greta Van Fleet

Yellow Convida está de volta, com Sal (João Salmeron) apresentando a mim — e talvez também a você, leitor — a banda de rock americana Greta Van Fleet.

Os caras são frequentemente comparados ao Led Zeppelin, mas aconselho que você não se prenda a isso! Temos uma banda jovem, dando nova voz e vida ao bom e velho rock n’ roll. Siga a leitura e aproveite os links para conhecer o som!


De Frankenmuth para o mundo. Assim, sem mais delongas, pode ser apresentado o fenômeno chamado Greta Van Fleet. O quarteto, formado em 2012, vem do estado de Michigan e é composto pelos irmãos Josh (vocal), Jake (guitarra) e Sam Kiszka (baixo e teclados), além do baterista Danny Wagner.

Juntos, começaram a ganhar grande projeção mundial a partir do ano passado, quando o single Highway Tune bombou no YouTube com milhões de acessos num espaço de tempo curto, e vem caminhando a passos largos como um respiro espontâneo para o rock n’ roll que, há tempos, anda respirando com ajuda de aparelhos.

Não há como negar que os ícones do rock ou estão mortos ou estão se aposentando após vários anos de estrada. É sabido também que há muito não se vê nenhuma banda que seja capaz de causar um impacto tão positivo a ponto de ser apontada como o futuro do rock. Então, na contramão de tudo isso, encontramos o quarteto de Michigan que vem nos mostrando que, sim, há um futuro para o rock e que esse futuro se parece muito com o seu passado.

O “novo Led Zeppelin”

A semelhança com o Led Zeppelin, uma das maiores bandas de todos os tempos, é inevitável tanto na sonoridade da banda quanto no geral.  Os vocais rasgados de Josh Kiszka, que vai de um grave a um agudo potente numa variação rápida, remetem muito ao consagrado Robert Plant nos seus áureos tempos frente ao vocal da banda inglesa.

Acho um baita peso pra quatro garotos na casa dos seus vinte e poucos anos carregarem a enorme responsabilidade de serem chamados de “o novo Led Zeppelin“, mas não há mesmo como negar que a semelhança é escancarada pra quem quiser ver – e ouvir.

Greta Van Fleet também é para que não gosta de Led

Se você não gosta de Led Zeppelin, será que não vai gostar de Greta Van Fleet? A verdade é que você vai, sim (espero!) porque, apesar de soar como a banda inglesa, a banda americana tem algo diferente e tenta impor sua identidade nas músicas. Um grande exemplo é o próprio Josh Kiszka.

Comparado frequentemente a Plant, o vocalista de Greta Van Fleet mostra sua variação vocal, ora melódica, ora mais agressiva e rasgada no álbum de estreia da banda, Anthem of the Peaceful Army. Essa variação fica ainda mais evidente na música Anthem em que, claramente, Josh soa muito mais como Janis Joplin do que propriamente um cover fiel de Robert Plant!

greta van fleet

O primeiro long play — Anthem of the Peaceful Army

A banda lançou o EP Black Smoke Rising e uma versão estendida, intitulada From the Fires, que são “porrada atrás de porrada”. Mas é o primeiro álbum completo dos caras que apresentam uma verdadeira viagem musical, sem perder sua essência e com uma pegada bem rock n’ roll.

Age of Man abre os trabalhos e é um belo de um cartão de visitas. É aquele tipo de som que te envolve, te prende e te faz viajar quilômetros de distância sem ao menos dar um passo pra frente.

Outras faixas que merecem certo destaque dentro do álbum. A começar por When the Curtain Falls, uma baita pedrada nos ouvidos, mas com uma pitada na medida certa de sensualidade nos vocais rasgados e potentes de Josh.

Por sua vez, Watching Over tem lá seu lado meio meio southern rock e soa um pouco uma referência de Allman Brothers Band ou também um Lynyrd Skynyrd. 

E se você quer uma pegada bem country, acomode-se em sua poltrona, pegue sua cerveja gelada e aprecie You’re the One, uma balada com um bom instrumental e aqueles típicos teclados setentistas, bem como riffs com um feeling sensacional.

“Esses garotos vão muito longe”

Bom, só sei de uma coisa: esses garotos vão muito longe! Greta Van Fleet, mesmo que comparado freneticamente a Led Zeppelin, faz o seu próprio som, com sua identidade e no seu próprio tempo.

É som pra sacudir a cabeça no busão voltando pra casa depois de um dia exaustivo no trabalho. É som pra escutar relaxado deitado no sofá e sacudir os pés junto. É som pro tiozão ouvir e lembrar-se dos áureos tempos do Led Zeppelin, mas também é som pro garoto que tá começando a ouvir rock agora pirar e embalar numa vibe totalmente fora da calmaria do indie e bem mais suave que os heavy metal ensurdecedores.

Greta Van Fleet é uma pedrada na medida certa que vale a pena estar presente na sua playlist.

\o/

Você já conhecia Greta Van Fleet? Gostou do som apresentado pelo Sal? Deixa o seu comentário pra gente!

Quer publicar seu texto no Yellow também? Me mande um recado,
pelos comentários, no email yellowevershine@gmail.com
ou no Facebook. Vamos conversar!

Anúncios

3 comentários sobre “Um fenômeno chamado Greta Van Fleet

  1. Vi alguns vídeos da banda e me surpreendeu positivamente. Sim, achei muito parecido com o Led, mas não concordo com os comentários que os chamam de “cópia” ou algo do tipo. Melhor eles terem uma banda do nível do Led como referência do que… bem, acho que dá pra entender. Tomara que seja a porta de entrada para um revival do rock ‘n’ roll na grande mídia. Torço muito por isso.

    Curtido por 2 pessoas

    1. Eu não sei de onde essa ideia de “novo Led” surgiu. Não foi do Sal, acho que ele reproduziu isso aqui porque houve mesmo isso de apresentarem os caras dessa forma. Mas estou com você, não concordo com essa ideia de cópia e acho que semelhanças podem existir e formar um som original sem problemas. Inclusive, espero que isso aconteça porque também quero um revival do rock em destaque!

      Curtido por 2 pessoas

    2. Essa comparação veio por parte da própria mídia quando a banda estourou com Highway Tune no YouTube. A vibe instrumental muito parecida com o instrumental do Led e a inegável potência vocal do Josh contribuíram muito pra isso também. Não me recordo onde foi, mas, vi numa entrevista eles sim admitindo que tem o Led como referência, mas que não, não estão fazendo o seu som tentar ser parecido com seus ídolos. Acho bom também eles terem uma banda desse peso como referência e como tu mesmo disse Guilherme, tomara que seja uma porta de entrada para um revival do rock.

      Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s