Álbum da vez: 1000 Forms of Fear

Faz pouco tempo, a Líley veio me perguntar se eu tinha no Yellow alguma playlist com minhas músicas ou bandas favoritas. Já até fiz algumas plays pra cá, mas isso de escolher favoritos – como já pontuei várias vezes – não é o meu forte mesmo. Pensei, porém, em fazer algo indicando músicas que tenho ouvido com frequência ultimamente e a campeã do momento é Fire Meet Gasoline, da maravilhosa Sia.

Sia, por que tão maravilhosa?

Há tempos (mesmo) eu quero escrever mais sobre essa mulher aqui. Que ser maravilhoso é Sia Kate Isobelle Furler! Eu não sei vocês, mas a australiana chamou atenção no meu mundo quando estourou com Chandelier mesmo, em 2014, mas está entre nós há muito mais tempo. Em 2008, lançou o ótimo Some People Have Real Problems e nos anos seguintes, colaborou com David Guetta em Titanium – uma das minhas favoritas até hoje – e com bad girl RiRi em Diamonds, aquele puta baita hit.

A bem da verdade é que Sia Furler é uma compositora de mão cheia – ah, como eu valorizo isso! – e responsável por várias músicas bacanas do universo pop que ganharam vida nas vozes de Beyonce, Katy Perry, Xtina Aguilera, Ne-Yo, Bridy, Celine Dion

Por que eu demorei tanto a falar de 1000 Forms?

Porque o Yellow nunca teve a pretensão de dar conta de falar daquilo que é a bola da vez no mainstream (porque é assim que eu funciono). Assim sendo, quando me encantei com Sia, fui correndo ouvir seus outros álbuns para tentar conhecê-la para além dos hits. O já citado Some People Have Real Problems, por exemplo, é apenas o quarto álbum de estúdio da australiana. Eu tinha um longo caminho para percorrer até aqui, mas acabou não acontecendo…

chandelier

Não aqui no blog. Em outra ocasião, quando destaquei This Is Acting como um dos meus álbuns favoritos de 2016, mencionei que minha conexão com o mundo pop aumentou graças a Sia e, querendo ou não, mais cedo o mais tarde, eu teria a minha fase com o 1000 Forms.

Ouvi e me rendi aos hits!

Aqui, Sia dá voz a várias emoções que passeiam por mim ao longo dos dias. Talvez por isso eu esteja ouvindo com tanta frequência. Além de Fire Meet GasolineBig Girls Cry, Eye of the Needle e Free The Animal são favoritas.

1000 forms.jpg

É, não consegui fugir dos hits dessa vez. Geralmente, o que eu tento fazer – e consigo e indico a vocês – é ouvir um álbum ou artista em busca do que mais ele tem a oferecer além dos singles, além das músicas que chegaram aos top 100 ou às rádios. Se alguém ai ainda não ouviu 1000 Forms of Fear do começo ao fim, direito, faça! O álbum flui muito bem.

Além de estar recheado de canções catchy que aprendemos a cantar e que nos fazem querer dançar como Maddie Ziegler, 1000 Forms foi elogiado pelas letras – como haveria de ser. E toda aquela emoção que eu mencionei vem também disso… e da voz. Alguém mais apaixonado pela voz de Furler?

Alguém para me dizer como parar de ouvir esse álbum?

Anúncios

16 comentários sobre “Álbum da vez: 1000 Forms of Fear

  1. Sia has done several interesting videos with movie trailers recently. I like watching Sia’s videos, but her music is not what I like to listen to without the videos. I find it interesting how some songs I like their video or listening to the song by itself, some songs I can only listen to while I watch the video, while other songs I prefer only to listen to because the video is a distraction from the music.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Não sei nem o que dizer ao ler esse post, apenas que esse álbum é um dos mais maravilhosos da vida!
    Eu sou apaixonada por ‘Dressed in Black’, acho ela uma das músicas da minha vida, sabe?
    Amo ‘Elastic Heart’ (e aquele CLIPE?)!
    Aff.
    Amei vê-lo aqui!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Acho que a solução pra eu parar de ouvir é essa, né: ouvir até cansar! haha
      Você chegou a escrever algo sobre o álbum novo? Queria saber porque não gostou tanto… Isso pelo fato de você ser mais do pop do que eu, fico interessada na sua opinião!

      Curtido por 1 pessoa

  3. Confesso que essa é uma artista que eu queria ouvir. Mesmo o sucessão Chandelier tem uma vibe interessante dentro do pop, que é uma verve meio dark. Isso, a princípio, foi o que me deixou bastante interessando também no Weeknd. Aliás, fica aí a recomendação, ouça o Trilogy (primeiro disco do rapaz), certeza que você vai gostar, Lari ;)

    Curtido por 1 pessoa

    1. Opa, gostei da recomendação, Jão! Vou conferir sim :)
      Sia tem uma pegada diferente mesmo, ainda que seja uma artista habituada ao “lugar comum” do pop, digamos assim. De qualquer forma, acho que a interpretação e toda a construção que ela consegue fazer em torno das músicas – com as apresentações e clipes – contribuem pra fazer com que ela se destaque mesmo quando vai para um lado menos sombrio.

      Curtido por 1 pessoa

  4. Comecei a ler o post e quando li meu nome levei um susto hahaha <3
    A Sia é maravilhosa! Confesso que também só a conheci quando Chandelier estourou, houve uma época que no meu spotify só dava 1000 Forms of Fear, porque sou dessas que quando gosta de uma música/álbum ouve até enjoar. Ainda não ouvi o álbum This Is Acting, só conheço a música Alive, mas já vou anotar pra ouvir :)

    Curtido por 1 pessoa

    1. Continuo pensando no que você comentou outro dia e tenho até ideias, só não estou conseguindo desenvolver tanto conteúdo quanto gostaria por agora… Mas uma hora sai!
      Sobre Sia, escrever sobre esse álbum até que me ajudou a ouvir menos. Eu tava precisando, haha! Mas entendo bem isso o que você diz de ouvir até enjoar. Fiz isso com Blue & Lonesome dos Stones (não enjoei ainda, mas consegui parar de ser frenética).
      Se lembrar, volta pra me dizer o que achou de This Is Acting!

      Curtir

  5. Tendo a gostar mais das músicas que Sia compõe para outros artistas que as que ela própria grava e isso certamente explica porque eu adorei o This Is Acting, já que é um álbum feito de músicas originalmente compostas para serem interpretadas por outros artistas.

    Por outro lado, ainda que não aprecie muito a maioria das letras, amo a sonoridade e os vocais do 1000 forms of fear. Sia é uma vocalista excepcional e suas canções e interpretações soam únicas em meio a tantas outras que se parecem umas as outras. Minhas favoritas do álbum? Chandelier (que escutei pela primeira vez muito depois de ter sido modinha haha), Big Girls Cry, Straight for the Knife, Elastic Heart.

    E do “Some People Have Real Problems”, minha favorita é Day Too Soon.

    Beijos!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s