18 músicas sobre os 18 anos sem Tupac

Mais um Yellow Convida no ar! Dessa vez, é o Fabio quem traz pra gente um pouco sobre Tupac, um cara que ele acha que todos precisam conhecer. Já são quase 18 anos sem o rapper (exatamente 18 anos amanhã, dia 13 de setembro).
Desde já, agradeço o Fabio por ter enviado esse texto, que traz a playlist de sexta para vocês e reitero que as portas do blog estão abertas para quem quiser participar! Bora ler o post e curtir!
_____________________________________________________

Ser famoso aos 25 anos não é algo incomum. Ser uma LENDA com 25 anos de vida é. tupac

Tupac sobreviveu a um atentado. Não resistiu ao segundo. Ou melhor, ele até tentou. Foram dias tentando sobreviver. Mas o homem deu espaço à lenda. Até então ele era um rapper de destaque, um dos maiores da época. Depois ele virou um ícone que ultrapassou fronteiras. E soube preparar o mundo para isso.

Filho de uma mãe solteira e Pantera Negra, teve uma infância difícil, convivendo com a violência das ruas e a dor da pobreza. Mesmo assim sempre foi atento à arte e a literatura. Nunca teve vergonha de falar que dançava ballet e era fã de Shakespeare. E foi exatamente essa mistura que deu origem ao maior poeta das ruas do século passado.

Com um raro talento,  descreveu a dura realidade nas suas músicas. Às vezes com um discurso pacífico, às vezes com um discurso violento. Sempre de forma crua e poética.

Separo a carreira de Tupac em 3 fases.

A primeira temos um rapper extremamente preocupado em falar para a comunidade. Principalmente aos negros. O primeiro grande sucesso foi Brenda’s Got a Baby, que surpreendia ao mostrar uma visão mais ampla sobre um problema comum na periferia: a gravidez na adolescência.

No álbum seguinte emocionou com Keep ya Head Up, uma música que fala sobre superação, mas que se destaca pela fala direcionada às mulheres. O rap infelizmente tem um lado sexista, mas Tupac era diferente dos demais.

Por ironia, seu melhor álbum, Me Against the World, foi lançado no meio de uma grande virada na sua vida. Foi pego em uma emboscada e alvejado com 5 tiros. Sobreviveu, mas logo depois enfrentou um processo por abuso sexual (não estupro, como a mídia falou na época). Mesmo sem nenhuma prova, foi condenado à prisão. Para sair de lá, cometeu o que considero o maior erro da sua vida: assinou um contrato com a gravadora Death Row, do perigoso Suge Knight, que pagou a fiança e sua liberdade.

A partir daí temos uma nova fase. Tupac deixa um pouco de lado o discurso comunitário (não totalmente) e assume o papel de gangsta. Iniciou um discurso paranoico, procurando culpados pelo atentado que sofreu e atacando qualquer um que discordasse. Mesmo com essa visão distorcida, produziu uma obra prima chamada All Eyez On Me, disco duplo mais vendido da história do rap.

Mas Tupac estava ciente do perigo que era estar na Death Row (ironia no nome). Tanto que em menos de um ano gravou centenas de músicas inéditas, que seriam lançadas depois da sua morte e garantiriam o sustento da sua família. Aliás, essa é a terceira fase.

A morte tem o dom de santificar as pessoas, não é mesmo? Imagina quem deixa um legado como Tupac deixou.

Meses depois, outro talentoso rapper morreria praticamente da mesma forma. Notorious B.I.G. , o “rival” que Tupac escolheu em vida, era tecnicamente mais talentoso e fazia até mais sucesso na época. Mas, porque o mundo fala muito mais de Tupac do que do Biggie?

Não sei se minha resposta está certa, mas é o que penso: emoção supera técnica. Tupac era extremamente emocional. Ao ouvir Life Goes On pela primeira vez eu chorei, e nem sabia sobre que se tratava. Mas a emoção daquele cara me indicava o que era. E suas músicas têm essa característica, elas marcam pela transparência do artista. Em tempo, acabei de lembrar uma frase dele que dizia mais ou menos isso “eu não sou o melhor rapper, mas eu sou o mais verdadeiro”. Existia muita verdade nele.

O sucesso de Changes consolidou sua imagem de gênio e mártir pelo mundo. Não coloquei ela na playlist por birra, quero que você conheça mais sobre ele. Não escolhi as 18 melhores músicas e sim as 18 que juntas fazem uma montagem sobre a vida desse cara que admiro tanto a tanto tempo.

Espero que vocês curtam!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s